É menina do Rio…
Tem um brilho de sol…
É corrente das águas,
O seu próprio farol!

É menina das matas!
Das mais verdes, mais fartas!
É das flores, regatas
das mais belas cascatas!

Tem o mistério da noite e a dança malandra da cidade.
Suas mãos são colheita dos frutos da fé e da vontade.

Alegre Menina,
Tão delicada!
Alegre Minhota,
tão despojada!

Alegre Menina,
Tão delicada!
Alegre Minhota,
tão desejada…

É menina do rio…
Tem um brilho de sol…
É corrente das águas,
O seu próprio farol!

É menina das matas!
Das mais verdes, mais fartas!
É das flores, regatas
das mais belas cascatas!

Faz do seu fogo candeia,
Na rua passeia seu doce pensar…
Tem temperos mais fortes,
é ela tão solta, tão elementar…
Tem voz de oração a guiar…
Tem um cheiro de mar,
um rosário a chorar,
é das ondas bravias do mar!

Alegre Menina,
Tão delicada!
Alegre Minhota,
tão despojada!
Alegre Menina,
Tão delicada!
Alegre Minhota,
Tão desejada…

Instrumental….

Alegre menina, tão delicada…
Alegre minhota, tão despojada…
Alegre menina, tão delicada…
Alegre Minhota!
Alegre Minhota!
Cati Freitas - Letra e Música
Tiago Costa - Piano e Teclados
Frederico Heliodoro - Baixo e Contrabaixo
Conrado Goys - Guitarras
Felipe Roseno - Percussão