Cati Freitas

/ bio
Eu não desejo muita coisa, só a necessidade de expressão me provoca uma coceira crónica no espírito e me conduz aos seus efeitos. É preciso encontrar o molde da expressão, cozinhá-lo no sábio forno do tempo, só isso me inquieta.

Cati Freitas é de Braga e tem 33 anos, mas bem podia vir de qualquer outro local do Mundo porque o seu talento não se contenta com as nossas fronteiras.
Recolheu influências da MPB, da música POP, da intemporalidade acústica do jazz e das refinadas vozes de Ella Fitzgerald, Amália Rodrigues e Elis Regina. Personalidades com uma noção precisa de estilo que lhe ensinaram que a voz resulta, também, de uma procura interior. Em 2013 Cati Freitas ambicionou sonhar com Dentro, o seu primeiro álbum, depois de descobrir o trabalho do produtor, arranjador e pianista Tiago Costa com quem desenvolveu larga relação de amizade e cumplicidade até aos dias de hoje, e que no seu currículo conta com participações em Maria Rita, Vento em Madeira e muitos outros nomes.

A sua escolha de repertório traz-nos uma mensagem de sofisticação por um lado, mas também de atualidade. A língua portuguesa é trabalhada com requinte, dando especial enfoque à mensagem. Descobrir a voz é afinal a razão mais funda. Além da visão e da sua determinação, Cati exibe ainda a segurança da sua própria identidade. Dentro, afirmou uma voz segura, doce e quente, madura e sabedora das curvas e contracurvas que as melodias exigem capaz de ser subtil e forte na mesma frase.
Depois do sucesso da estreia, a cantora de voz doce decidiu ganhar tempo a escutar o silêncio e a escutar-se a si própria. Ressurge em Outubro de 2018 com o segundo álbum, Estrangeira, que guarda em si uma portugalidade universal e a elegância a que nos habituou - elemento de equilíbrio perfeito entre o seu lado da tradição e o de modernidade. Consegue ganhar ainda mais sofisticação através das suas melodias refinadas e versos gentis.
Entre criações originais e revisitações os delicados arranjos para "Barco Negro" e a emocionada interpretação de "Perdidamente" com participação de Jaques Morelenbaum são de escuta obrigatória em Estrangeira. Começando e acabando nos típicos ritmos portugueses, não sem antes passar pelo jazz ou pela pop delico-doce.
Cati Freitas é uma cantora e compositora de corpo inteiro que nos continua a garantir estarmos perante uma revelação na música Portuguesa.


top